Gestão patrimonial: O que é planejamento humanizado do seu patrimônio?

Para começar mos a falar sobre planejamento humanizado do patrimônio, primeiro é preciso entender o que é patrimônio.

Diferente do mito popular, patrimônio não é coisa de gente rica, justamente porque patrimônio não se resume em bens. Patrimônio também é o conjunto de direitos e obrigações com viés econômico que as pessoas possuem.


Sendo assim, quando se trata de gestão patrimonial, é analisado o todo que determinada pessoa, empresa ou família possui, sendo levado em conta os bens, os processos (judiciais e administrativos) e as dívidas.


E este patrimônio pode ser gerido de diversas maneiras: desde o acompanhamento estratégico de processos, passando pela realização de análise de riscos socioeconômicos e até mesmo por meio do planejamento sucessório.


A administração desses instrumentos deve sempre ser realizada por profissionais capacitados, pois são analisadas questões como prescrição de dívidas, regulamentação de documentos e imóveis, riscos fiscais e econômicos, estratégias para transmissões de patrimônios, assim como a principal questão: a vontade das pessoas que estão por trás do patrimônio.


Nenhum patrimônio se constitui sem a atuação humana, assim, a gestão humanizada do patrimônio leva em conta tudo o que pessoa recebeu e construiu em vida.


A escuta ativa e a análise dos laços familiares existentes, bem como a atuação em conjunto com o cliente, colocando-o sempre no centro das decisões, fazem parte da atuação humanizada proposta, pois permitem e promovem sua autodeterminação.


A gestão patrimonial que vem ganhando força nos últimos anos é a realizada por meio do planejamento sucessório.


No que consiste o planejamento sucessório?


O planejamento sucessório possibilita a análise de questões tributárias, imobiliárias e familiares, possibilitando à pessoa que organize a disposição de seu patrimônio de forma que garanta que, em caso de morte, tudo já esteja devidamente regularizado para seus familiares.


O planejamento sucessório pode ocorrer por meio da elaboração de testamentos, doações, holding familiar, seguros de vida, previdências privadas e outros instrumentos extrajudiciais, como estipulação de usufruto vitalício de bens (oportunamente, trataremos cada uma dessas possibilidades aqui).


São mecanismos que também possibilitam desonerar o processo de transmissão do patrimônio aos entes queridos, emocional e financeiramente.


Importante mencionar que o planejamento sucessório pode ser feito por qualquer pessoa e que o momento para sua realização é justamente quando começamos a desenvolver qualquer atividade lucrativa que possibilite a aquisição de bens, assim como quando nos encontramos em um momento delicado financeiramente, no qual é comum a existência de dívidas e processos judiciais.


Por que fazer gestão patrimonial?


gestão humanizada do patrimônio


Também é imprescindível para conferir uma gestão empresarial adequada à sua empresa, evitando sua fragmentação diante discussões e desentendimentos em relação ao patrimônio da família ou da empresa.


A gestão do patrimônio possibilita, também, por meio de estratégias jurídicas, que a disposição de seu patrimônio seja feita conforme a sua vontade e não seguindo meramente as determinações legais.


Existe um grande espaço de escolha em face do que dispõe a Lei. Isso possibilita economia de custos e de tempo, bem como a garantia de tranquilidade e autonomia para as pessoas envolvidas, além de facilitar a sucessão hereditária.


Estar à frente das decisões que podem impactar o seu futuro e de seus familiares, organizar questões financeiras e tributárias, bem como, programar que seu patrimônio continue rendendo frutos e servindo à sua família mesmo em sua falta, é possível por meio da gestão patrimonial.

Planejamento da gestão patrimonial humanizado


A humanização da gestão patrimonial consiste justamente no processo de potencialização da sua vontade e autodeterminação em conexão com os laços afetivos que contornam esse plexo de relações patrimoniais e legais.


Todas essas decisões devem partir de quem construiu seu patrimônio, sendo neste momento ele positivo ou negativo.


Cabe ao profissional escolhido indicar quais são as melhores estratégias e possibilidades, permitindo que o procedimento de gestão patrimonial seja a instrumentalização da vontade consciente das pessoas envolvidas.


Assim sendo, por meio da elaboração construtiva e suporte de apoio técnico, de modo que a pessoa participe ativamente de todo o processo de gestão humanizada do patrimônio, afinal, ninguém sabe melhor do que você sobre o seu patrimônio e sobre a sua família.


O tema planejamento humanizado do seu patrimônio, é o primeiro da série Direitos de Sucessões, e convido você a assinar nosso newsletter para se manter informada sobre esse assunto importante para o seu futuro.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo